Gráfico 30 – Percentual sobre o uso de drogas pelas entrevistadas

Dados se referem a 141 participantes, exceto no caso do LSD e do chá de cogumelo, que dizem respectivamente de 139 e 140 entrevistadas.

 

De maneira geral, apesar dos dados estarem subestimados, percebe-se um alto índice de uso de drogas pelas entrevistadas. Ainda de modo geral, verifica-se que álcool (90,07%), cigarro (66%), maconha (65,98%) e cocaína (62,41%) foram usados pela maioria das entrevistadas, o seu uso permanece de modo diário e por longos períodos da vida. De acordo com relatos das participantes, o uso do álcool e da cocaína estão muitas vezes vinculados ao contexto de trabalho sexual em que estão inseridas, uma vez que precisam ficar despertas e no frio por longas horas durante a madrugada. A frequência de uso de cocaína “quando o cliente paga” foi mencionada por três participantes, entretanto, esse uso é mais recorrente, segundo o próprio relato das entrevistadas em campo.

 Já as drogas sintéticas são usadas em ocasião de festas e baladas no final de semana. A maioria das entrevistadas relata que não fez uso de drogas sintéticas e quando fez foi de modo experimental ou por períodos curtos, não permanecendo com o uso. Em relação aos inalantes, a maioria relata que não fez uso e as que fizeram foi de modo experimental, sendo que a maioria não usa mais, as que usam fazem em baladas e carnaval. A maioria não fez uso de chá de cogumelo, Viagra, xarope e remédio psiquiátrico. 

 

 

 

sobre-saude

                                                                                Realização

   Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT (NUH/UFMG)

Telefone: (31) 3409-6287

Endereço: Sala 2003 Fafich,

Universidade Federal de Minas Gerais

Av. Antônio Carlos, 6.627, Pampulha,

Belo Horizonte /MG, CEP : 31270-901 

 Facebook     Youtube