Batalhar: Termo utilizado pelas travestis e transexuais femininas, que se refere ao exercício profissional diário nas ruas.

 

Bombadeiras ou mãos de fada: Trata-se de uma travesti que oferece o serviço de aplicação do silicone industrial para modelagem do corpo de outra travesti em troca de uma quantia em dinheiro. A denominação e o reconhecimento das bombadeiras como também “mãos de fada” resulta da satisfação de muitas travestis com relação ao serviço.

 

Dona de casa ou pensão: Geralmente são travestis mais velhas que deixaram de se prostituir e que disponibilizam moradia para as travestis/transexuais em troca do pagamento de diárias. Em um contexto de ausência familiar e institucional a qual estão inseridas, a dona de casa geralmente destaca-se por minimizar esse vazio de recursos, de apoio e de assistência.

 

Pistas: Expressão utilizada pelas travestis/transexuais entrevistadas, que refere-se às áreas em que encontram clientes.

 

Vício: Vícios são tanto práticas sexuais que travestis/transexuais realizam com homens e que não envolve transação de dinheiro como no caso dos programas, como é também uma categoria utilizada para se referir àqueles sujeitos com quem elas se relacionam. A relação não é conjugal/amorosa, como no caso dos maridos, namorados ou companheiros, envolvendo mais atração física/tesão que sentimentos afetivos.

                                                                                Realização

   Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT (NUH/UFMG)

Telefone: (31) 3409-6287

Endereço: Sala 2003 Fafich,

Universidade Federal de Minas Gerais

Av. Antônio Carlos, 6.627, Pampulha,

Belo Horizonte /MG, CEP : 31270-901 

 Facebook     Youtube