A partir de tais dados, observa-se o contexto de vulnerabilidade em que travestis e transexuais de Belo Horizonte estão inseridas, o precário acesso a serviços em alinhamento com suas especificidades e a escassez de políticas públicas e/ou instituições que visem a garantia de seus direitos. Ao mesmo tempo, percebe-se, também, como as travestis e transexuais se constroem como sujeitos políticos, traçando estratégias de resistência e enfrentamento diante de contextos marginalizados. Pela complexidade de suas experiências e para que a pesquisa vá além dos dados estatísticos e seja também capaz aprofundar nas muitas reflexões acerca das informações sobre a sociabilidade dessa população, a pesquisa ainda conta com uma segunda etapa de coleta de dados que visa ampliar as possibilidades de entendimento, intervenção e mobilização dos grupos sociais em questão e ao combate ao preconceito.   

Compreender o cotidiano dessa população além dos estereótipos assim como as suas formas de sociabilidade, de práticas de trabalho e inserção profissional, de uso ou distanciamento das instituições públicas de saúde, de educação formal e de segurança pública, bem como seus impactos nas vidas individuais das entrevistadas, da forma mais aprofundada possível, exige um trabalho minucioso que se pretende ser alcançado também via entrevistas semi-estruturadas às travestis ou transexuais que já tenham respondido ao questionário do projeto. Essas entrevistas serão desenvolvidas a partir da perspectiva qualitativa e utilizadas para um conhecimento da trajetória individual de cada entrevistada tendo como finalidade principal compreender a dinâmica das formas de exclusão e das redes de solidariedade já existentes capazes de colaborar na emergência de uma organização social do grupo, para, assim, dar subsídio a ações e políticas públicas voltadas para o combate aos seus contextos de discriminação.

 

                                                                                Realização

   Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT (NUH/UFMG)

Telefone: (31) 3409-6287

Endereço: Sala 2003 Fafich,

Universidade Federal de Minas Gerais

Av. Antônio Carlos, 6.627, Pampulha,

Belo Horizonte /MG, CEP : 31270-901 

 Facebook     Youtube